Total de visualizações de página

quarta-feira, 9 de abril de 2014

O NOVO CHEFE DA MINHA MULHER

Minha vida de casado corria normal, estava casado a 5 anos, não tínhamos filhos, e curtíamos muito nosso casamento. Eu tinha na época 34 anos e Adriana 27, eu trabalhava numa empreiteira e ela como secretaria num órgão do Governo Federal, onde por sinal ate hoje trabalha. Adriana é uma mulher de personalidade forte, viva, dessas que chama sempre atenção aonde chega, e alem do que é uma gata, de 168 cm, 58 kg, morena clara, seios médios, pernas grossas, roliças, bumbum gostoso, diria que do tipo avião. Varias vezes já ouvi homens referir a ela, assim… Isso nunca me incomodou, ate ficava exitado vendo os homens desejando ela. Nesta época aconteceu um fato que veio mudar nossa vida. No trabalho de Adriana chegou um chefe novo, vindo do Rio de Janeiro, ele era casado, mas sua família ficou no lá, ela passava a semana aqui em Brasília e voltava no final de semana para o Rio. No inicio os dias no trabalho era normal, nada de especial… Mas aos pouco Adriana, foi notando os olhares dele mais e mais insistentes, ela fazia que não percebesse, disfarçava e tocava o trabalho, ele sempre a chamava na sua sala, por ela ser sua secretaria, ficava muito tempo com ele, falando a todo o momento no fone, entrando e saindo de sua sala, anotado as cartas que ele ditava. Adriana começou a notar que ele sempre a pedia para ficar um pouco mais alem do horário dela sair, ela no inicio achou que tudo bem, afinal ele estava chegando e realmente tinha muita coisa a fazer. Como ele a tratava com todo respeito, ela o atendia e estava gostando de trabalhar com ele. Depois de um mês que ele tinha chegado, ele partiu para cima de Adriana, queria mais que uma simples secretaria. Adriana continuou na dela. Mas foi ficando puta com as investidas dele, ele tinha hora que parecia que queria comer ela com os olhos, um dia ela estava anotando o texto da carta, ele perdeu o fio, levantou da cadeira, deixando a mostra que estava exitado. Neste dia quando fui pegar ela, ela estava puta chorando… Falava em denunciar ele, em sair da cessão… Falei para ela ter calma, que o melhor era contornar a situação… Ela disse que estava ficando impossível, ele olhava para como se ela estivesse nua. Quando chegamos em casa lhe disse: Amanha, quando você achar que é o memento, chama seu chefe, o Dr Marcos para vir a nossa casa, ai ele conhece a gente, conhece seu marido, vê que você vive bem, quem sabe ele desencarna. Ela achou que não valei a pena, nem queria aquele homem em nossa casa. Dois dias depois ela disse, convidei Dr Marcos para vir aqui, ele vem amanha. Legal. Era estranho receber em minha casa um cara que queria comer minha mulher e o pior, era o chefe dela. No outro dia fui buscar Adriana no trabalho no final do expediente. Ela me deixou em casa e disse: vou comprar algumas coisas para fazermos um lanche, se ele chegar você o recebe. Depois de uns trinta minutos que estava em casa ele chegou, era um homem bem apessoado, com uns 36 anos, alto, forte, moreno claro, educado. Ficamos conversando e bebendo cerveja. Logo Adriana chegou serviu algo para agente comer e disse que iria tomar um banho, estava morta de calor. Estanhei a demora dela no banho. Já tínhamos tomado três latas cada um, quando ela voltou a sala, estava lindos, de cabelo nolhado, com um vistido leve, solto de alça e bastante decotado, calçava uma sandália baixa. Ele a olhou de cima a baixo. Sorri para minha mulher, perguntei o que ela queria beber, ela preferiu uma cerveja, coisa rara. Ficamos ali batendo papo, eles evitaram falar do trabalho. A noite estava agradável. Levantei e fui ao banheiro. Adriana tinha deixado à calcinha dela suja em cima da pia. Dei uma cheirada nela, tinha o cheiro gostoso de sua xoxota. Quando voltei a sala, parecia que tinha um clima entranho, mas estava tudo do mesmo jeito que tinha deixado. Dr Marcos levantou e foi ao banheiro, só ai lembrei da calcinha, olhei para Adriana, ela estava tranqüila. O que esta achando, ela perguntou. Tranqüilo. Alguns minutos depois ele voltou, pude ver nitidamente o volume de seu sexo duro marcando a calça. Ele ficou mais um pouco, tomou outra cerveja e foi embora. Adriana foi arrumar as coisas. Voltei ao banheiro, a calcinha ela tinha desaparecido. Dr Maços tinha levado ela. Voltei a sala, Adriana já estava terminado, ela veio sentar no sofá ao meu lado, não falei nada da calcinha, não sabia se ela tinha deixado ali de propósito. Minha esposa estava linda, lhe dei um beijo. Ela tinha bebido duas latas de cerveja, estava fora de seu normal. Ela foi receptiva, enfiei a mão embaixo de seu vestido, levei um susto, tive duas surpresas: ela estava sem calcinha e molhadinha. Levantei seu vestido e lhe dei uma gostosa chupada, ela gozou na minha boca, depois penetrei ela ali mesmo. Ela gozou de novo e fomos para a cama. Adriana estava tarada, ela ficou me chupando… Disse a ela, esta chupando seu chefe, que ela era uma vadia, chupa seu chefe… Chupa… Ela chupava com mais desejos, depois abri as pernas dela e coloquei meu pau na entrada de sua xoxota e fiquei pincelando lentamente… Falando coisas no ouvido dela… E minha gata… Você quer dar para seu chefe, quer, quer entrar na pica dele… Em vadia, fala para seu macho que você quer duas picas… Em putinha safada… Tarada… Vadia… Puta… Em vadia fala… Ela foi ficando louca, logo estava pedindo para meter nela… Fodo!!!! Mas diz que quer fuder com Dr Marcos, fala vadia… Fala que quer a pica dele na sua xoxota… Em vadia, fala… Fode-me Marcos, fode sua puta, enterra tudo…fode Marcos..fode… fode sua puta. Fome meu amor, fode, me fode… Por favor, fode… Fiquei louco de tezão e meti tudo nela, ela gozou duas vezes… Dormimos e acordamos na manha seguinte atrazado, trazamos rapidinho e fomos correndo para o trabalho. Adriana quando chegou lá, o chefe já tinha chegado. Ela tinha muitas coisas para fazer, ele estaria viajando no dia seguinte para o Rio. No final do expediente Dr Marcos falou que queria da uma palavrinha com ela, eu já esperava lá em baixo no carro. Ele agradeceu a ida em nossa casa, me elogiou, disse que éramos um casal civilizado. Olhou para ela e disse: Adriana, esta noite não consegui pregar os olhos, estou apaixonado por você, abriu a gaveta da mesa e pegou a calcinha dela e levantou no ar, você me desculpa mas ontem roubei isso no seu banheiro, passei a noite toda cheirando, sentido o seus cheiros íntimos, levantou e mostro o pau dele dura, embaixo da calça, olha para mim, um homem serio, com essa idade, professor, que nunca teve um caso fora do casamento neste estado, parecendo um colegial. Amanha não vou estas aqui, nem na semana quem vem, quando eu voltar, espero que você decida, quero ficar com você, fazer amor com você, sentir seu sabor, deixa-me compartilhar com seu marido o seu cheiro, ele estava com a calcinha dela no rosto, se você quiser pode me denunciar, se você não quiser pode ir embora daqui, mas eu não agüento mais trabalhar com você, o que eu sinto é mais forte que eu. Adriana não acreditava não que ouvia. Olhava para ele sem reação. Ele olhou no calendário e disse você tem quinze dias para decidir. Entregou a ela a calcinha. Adriana levantou e sai da sala calada. Quando chegou no carro estava calada, perguntei se tudo bem… Ela disse que sim, fomos ate em casa calada. Perguntei o que foi ela abriu a bolsa e retirou de dento a calcinha que ele tinha roubado. Ele pegou isso ontem no banheiro… Olhei para ela, ela começou a chorar… Depois contou tudo o que tinha acontecido. Ficamos calados. Vamos tomar um banho, esquece esse cara. Os dias foram passando, não falamos mais sobre o fato, nossa relação na cama estava diferente, parecia que tinha sempre um estanho entre a gente, acho que estava mais apimentada, sentia Adriana com mais desejos. Dois dias antes de ele chegar. Perguntei o que ela tinha decidido. Ela olhou para mi e disse: fuder com ele esta fora de questão. Drica tenha calma, acho que você esta tendo grilos, acho que no fundo você tem desejos, é uma coisa nova diferente. Ela relutou um pouco de depois perguntou? Você não acharia ruim, parece que você esta a fim de dividir sua mulher. Não é nada disso, só quero ver você feliz, quanto mais feliz você estiver, mais feliz você vai me fazer. Ficamos calados. No dia da chegada dele Adriana foi para o trabalho vestido uma roupa seria, discreta, que lhe dava um ar de freira de filme pornô. Estava linda. Ela me disse que quando Dr Marcos olhou ela, ficou mudo. Depois que todos sairão, ela foi à sala dele e lhe disse; pensei muito não sua proposta, mas quero mais uns dias para pensar melhor. Ele sorriu e disse, ate amanha, nem mais nem menos. Ela levantou e sai da sala. No carro ela me relatou o papo com ele. Disse que não sabia. Que estava insegura. Disse a ela para fazer o que o coração dela mandasse. Nesta noite Adriana quase não dormiu, varias vezes a sentir rolar na cama. Fiquei quieto e torcendo para ela decidir a dar para ele, eu sonhava com isso. Na manha seguinte, ela colou uma roupa linda e foi para o trabalho. No carro ela falou que tinha decidido a dar para ele, lá no trabalho, depois do expediente, se eu não me incomodava. Disse a ela que gostaria de ver, ela pensou e falou, hoje quero que você fique lá embaixo me esperando, na próxima vez vou organizar para você ver, você não fica triste em saber que sua lindinha esta sendo comida por outro homem? Disse que se ela estava feliz, eu estava adorando a experiência. Que ela poderia ficar tranqüila, que ficaria esperando ela lá embaixo no estacionamento, cheguei na porta do ministério as 19:30 horas, liguei para ela da portaria ela disse: estou entrando na sala dele… Voltei para o carro e fiquei esperando ate as 21:45 horas, ela entrou no carro com a cara cansada. Dei um beijo no rosto e perguntei: E ai amor? Ela olhou para mim e sorriu, tinha os olhos muito felizes e disse: Estou morta, acabada, arrombada, me leva para nossa casa. Conta tudo amor! Assim que você chegou aqui embaixo, tranquei a porta da sala que da para o corredor e entre na sala dele. Estamos sós Dr Marcos. Amor eu tive medo, ele é tarado, ele me pegou e colocou sentada em sua mesa, tirou meus sapatos, ficou beijando meus pés, chupando os dedos, foi beijando devagar, passando a língua em direção aos meus joelhos, amor fui ficando louca de tezão, depois ele foi subindo em direção a minha calcinha, não agüentei e comei a gozar, ele não se alterou, parecia que esperava por isso, depois ele chegou a parte interna de minhas coxa, beijou muito, ficou passando a língua em minhas virilhas, amor ele tirou minha calcinha com os dentes… Vendo ela falar, estava louco de tezão, levantei a saia do vestido, ela e levei minha mão em sua xoxota… Cadê sua calcinha amor? Ele disse que vai dormir com ela no rosto essa noite… Amor que delicia… Enfiei o dedo na xoxotinha dela, estava toda melada… Eu estava com o pau que não agüentava mais… Fiquei enfiando o dedo e levando a boca, sentido aquele gosto delicioso de foda, de sexo, do sabor dela e de outro macho… Fala mais amor… Ela continuou… Eu ainda estava vestida deita com as costas na mesa, ele na frente vestido de terno e grava, ele abiu minhas pernas e ficou olhando minha xoxota, depois deu uma deliciosa chupada, primeiro delicadamente, me fazendo delirar, depois mais freneticamente, ele alternava lambidas laterais com entradas profundas com a língua nela… Amor estava quase gozando, quando ele levantou abriu a braguilha… E colocou o pau para fora… Amor fiquei com medo, muito grosso amor… Grande… Senti um frio na espinha… Depois ele colocou a cabeça na portinha dela… Pegou-me pelo rosto e começou a beijar minha boca… Eu queria que ele entrasse logo… Parecia que ela o puxava para dentro, quando ele foi entrando… Amor tive orgasmos múltiplos comecei a gritar a gemer.. Amor ele encheu minha cara de porada, levei uns seis tapas na cara… Amor ele é doido… Levou mais de vinte minutos para gozar… Gozei três vezes… Dois múltiplos… Quando ele gozou, ficou parado olhando para mim… Saiu de dento de mim… tirou toda sua roupa… Ficou em pé, ele tirou meu vestido… Fui ao banheiro… Estava com o rosto pegando fogo e a xoxota pedindo mais amor… Queria mais… Quando voltei a sala ele estava sentado no sofá de pau duro… Amor fiquei mais de meia hora só mamando ele.. Lambendo… Batendo com ele na cara… Amor depois eu sentei por cima dele, fiquei de frente para ele no sofá… Ele entrou todo em mim… Ficou me beijando a boca e chupando meus seios ate nos gozar de novo… Depois amor ele me colocou no sofá deitada e entrou com aquela tora e bombou ate quase me acabar… Amor ele queria comer meu cuzinho… Disse a ela que não… Tive medo… Estava quase gozando com seus relatos… A xoxotinha dela estava muito quente, nunca tinha visto ela com aquela temperatura… chegamos em casa, deitei Adriana no sofá e lhe chupei como nunca… Chupei ate sair todo o cheiro dele… Ela gozou em minha boca… Fomos para a cama, ela pediu para comer ela, ela queria gozar comigo… Foi uma foda maravilhosa… Quando deixei Adriana no outro dia na porta do trabalho lhe perguntei, e agora como vai ser? Marquei com ele em nossa casa na quarta feira que vem não vou mais fazer sexo aqui no ministério. Adriana sempre foi firme depois de tomar uma decisão. A quarta seguinte levou quase um ano para chegar tamanha era minha ansiedade. Neste dia, fiquei quase que o dia todo de rola dura, muita tezão, era a primeira vez que viria minha esposa com outro homem, sonhava isso há muito tempo. Dr Marcos chegou as 21h, Adriana vestia o mesmo vestido do primeiro dia, eu já tinha chupando ela… Ele chegou tranqüilo, calmo… Ofereci-lhe uma bebida, ele disse: depois, e nossa gata linda como sempre, vem a aqui, vem sentar au meu lado. Adriana estava um pouco tímida… Eu sentado no sofá… Ele estendia a mão para ela… Ela chegou devagar… Ele a pegou pela cintura e a sentou em seu colo começou a beija sua boca… A beijar seus seios, como se eu não estive se presente… Tirou o vestido dela… E fez muito carrinho, depois levantou, me entregou um pequeno embrulho que trazia no bolso, pegou ela pelos braços nua e me perguntou: Onde fica sua cama corninho? Na hora fiquei vermelho, minha cara pegou fogo, nunca tinha sentido aquilo, que tezão… Fui à frente… Ele disse: liga o abajur e senta ali, olha como um macho fode uma vadia, é de um homem assim que essa puta gosta… Fiquei sentado, a uns dois metros da cama e vê a cena mais maravilhosa de minha vida, nunca pude imaginar que existia um homem como aquele, que algum macho pudesse comer uma mulher daquele jeito… Quando achei que estava para acabar, ele que tinha ficamos mais de uma hora sem notar minha presença disse, pega o embrulho corno e venha me ajudar a comer o cuzinho da esposinha… Ela a colocou de 4, ficou chupando o cuzinho dela um tempo… Mandou eu fica sentado ao lado, para ajudar a abrir as nádegas… Adriana aceitava tudo passivamente, ela nunca tinha dado o cuzinho para mim… Era a sua primeira vez… Ela escondia o rosto no travesseiro… Ele me mandou passar gel e fazer uma massagem do cuzinho dela, ele ali em pé, ao meu lado com a rola dura a menos de meio metro, olhei para seu pau e olhei na cara dele que me olhava, ele disse com os lábios, sem soltar um som se quer chupa e apontou para o pau… Olhei para ele de novo e peguei em sua rola.. Passei gel, fiquei alisando, pegando em seu saco, sem coragem de botar na boca, ele ordenou mais umas duas vezes… Não tive coragem… Depois dessa noite Dr Marcos veio varias vezes a nossa casa, tive algumas intimidades com ele, Adriana não notava nada… Ela gostava muito de ser sua amante e eu também… Depois de uns 4 meses que estávamos nesta vida, Adriana teve que ir a São Paulo, cuidar de uma assunto de família, viajou na sexta feira e só voltaria na outra sexta. Na quinta estava em casa, era 21h, quando tocou a companhia, lembrei de Dr Marcos, ele vinha sempre há essa hora, mas ele sabia que Adriana não estava em casa… Era ele… Fiquei um pouco constrangido, ele entrou estava tranqüilo, perguntou por Adriana… Depois sentou no sofá, pediu para eu pegar uma cerveja para ele, disse para tirar o sapato dele, abrir sua braguilha… Fiz tudo como fazia nos dias que Adriana estava em casa… Olhou para minha cara e disse: Hoje o corninho vai entrar na rola do chefe? Vai ver porque sua putinha é feliz… Fiquei tremulo, sentia um frio na barriga… Nesta noite Dr Marcos dormiu em nossa casa comigo na cama, coisa que nunca tinha acontecido, ele me deu muito prazer, fiz tudo que ele mandou… Antes de ele ir embora, depois que servi o café dele na cama, ele disse: gosto de corno macho, que agüenta tudo, gemendo, chorando, mas não foge da raia… Chupa aqui seu macho quero gozar mais uma vez na sua boca, e me deu um tapa na cara com a mão aberta, fique louco de raiva, e chupei feito uma vadia no cio… Tive que procurar um medico, estava todo arrebentado, esfolado e dolorido. Adriana voltou, não falei nada com ela, nem ele. A vida voltou ao normal com Adriana assumindo o seu posto de amante oficial e eu ao posto de corno obediente… Depois de uns dois meses, Dr Marcos recebeu uma proposta de trabalho de uma multinacional em São Paulo… Fui uma noite na segunda ao apart hotel de Dr Marcos fazer minha despedida particular… Durante mais de ano ele vinha a Brasília e se hospedava com a gente. Hoje já estou casado com outra mulher, mais velha, que não topa nada… Para matar a saudade daquele tempo, às vezes tenho uns encontros com homens macho, ativos e dotados que sabe cuidar bem de um ex corno. Se você sabe, posso fazer você feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário