Total de visualizações de página

sábado, 21 de junho de 2014

MEU PADRASTO NEGRAO TIROU MEU CABACINHO


A vida sempre nos reserva surpresas inesperadas que provocam reviravoltas quase inacreditáveis e isso aconteceu comigo e agora com 22 anos resolvi contar tudo em detalhes.
Desde os 15 anos sempre fui uma garota alegre e também muito ligada em assuntos relativos ao sexo. Apesar de virgem já havia beijado e levado algumas passadas de mãos dos garotos do colégio. Sempre fui uma voyeur assumida porque adorava me esconder e tentar assistir minhas amigas namorarem com os rapazes nos escurinhos das festinhas que aconteciam no bairro.
Com 16 anos perdi meu pai em um acidente de carro e durante quase um ano fiquei em depressão. Ele era muito carinhoso e compreensivo comigo ao contrario de mamãe que por ser professora universitária há muitos anos tinha uma postura rígida tipo “sargentão”.
Uma psicóloga amiga de minha mãe me ajudou a superar o trauma da perda de papai e devagar fui voltando a ser a garota alegre e esperta de sempre.
Quando faltavam 3 meses para completar 18 anos mamãe me deixou boquiaberta dizendo que tinha arrumado um “namorado” e estava querendo trazê-lo pra morar junto com ela.
Logicamente que aquele comunicado inesperado me deixou completamente surpresa, mas então caiu a ficha que mamãe era uma mulher muito jovem pra ficar viuva para sempre.
Minha mãe tinha 36 anos e era uma mulher extremamente cuidadosa com seu corpo.
Ela fazia caminhadas diárias no parque do nosso bairro e pelo menos três vezes por semana freqüentava academia. Seu corpo era praticamente perfeito, bundão, coxas grossas, seios enormes com silicone e seus cabelos loiros com olhos verdes a deixavam muito sexy.
Na verdade éramos bem parecidas em quase tudo...só meus seios é que eram menores e quando saíamos juntas chamavamos a atenção pela nossa beleza e por sempre estarmos bem vestidas.
Depois que tive problemas de depressão mamãe preocupada com minha “saúde mental” parou de pegar no meu pé e me deixou mais livre e pude me divertir mais sem me preocupar com horários ou ter que ficar dando satisfações sobre o que andava fazendo.
Na verdade continuei completamente virgem, só que nas festas e baladas que freqüentava com as amigas quando surgia um rapaz bacana os amassos e beijos eram bem mais quentes com trocas de caricias bem intimas. Porem quando algum rapaz queria ultrapassar os “limites” eu podava o safado rapidinho. RSS.
Apesar de ainda cabaçinho...de boba não tinha absolutamente nada.
Adorava assistir filmes pornográficos e era viciada em me masturbar toda noite em minha cama.
Dificilmente ia dormir sem gozar com meus dedinhos espertos.
Mas o mais inacreditavel sobre a noticia que mamãe havia me comunicado foi quando soube quem era o seu pretendente a novo “marido”.
Ele se chamava Cleber, tinha 38 anos e era socio da rede de academia que mamãe frequentava.
O mais incrível é que ele era negro.
Achei até estranho esse interesse da minha mãe em “negão” porque me lembrei que antes de papai falecer nos churrascos ou nas festas que íamos às conversas que rolavam sempre havia uma conotação “racista” ao falar sobre a raça. Nossa família tanto por parte de pai quanto de mãe eram polacos e completamente loiros de olhos verdes ou azuis.
De minha parte nunca fui preconceituosa, mas não achava “negão” bonito ou que chamasse muito a minha atenção.
Eu já havia visto o tal de Cleber na academia quando ia junto com mamãe fazer aulas de aeróbica. O que aquele negro tinha diferente era seu corpo completamente malhado e extremamente forte e por ter 1.90m não passava despercebido em lugar nenhum. Ele dava aula de musculação para um grupo seleto de alunos que queriam modelar seus corpos.
Quando minha mãe o convidou pra jantar em nossa casa para nos apresentarmos “formalmente” notei que ele tentou ser muito educado e simpático comigo, mas acho que ter outro homem no lugar do meu pai me fez ficar com um pé atrás. Logicamente fui bem educada com ele, mas fiquei um pouco retraída, porem o jantar transcorreu com tranqüilidade.
Mamãe depois desse jantar veio falar comigo se mostrando preocupada com minha reação quanto ao seu “marido negão”, mas apesar de não ter simpatizado de cara com aquele homem vi que não teria porque criar problemas, afinal ela tinha o direito de viver a vida dela do jeito que queria e desejava. Sem contar que minha mãe depois que papai falecera tinha sido muito mais que uma mãe...apoiando-me incondicionalmente e sendo extremamente carinhosa.
A única coisa que poderia ser um impecilho seria se o tal de Cleber fosse pobre e quisesse se aproveitar da mamãe. Ela como professora universitária ganhava bem sem contar que papai tinha deixado uma herança razoável pra gente. Porem sabíamos que ele era muito bem de vida com sua rede de academias e também era proprietário de uma grande revenda de veículos usados.
Depois de uma semana do jantar o “marido negão” da mamãe se mudou pra minha casa.
Foi então que percebi que minha querida mamãe passou a se comportar de uma maneira bem diferente de quando era casada com papai.
Na época ela era toda recatada e papai também muito retraído, porem com o “negão” percebi que a coisa pegava fogo. A toda momento eles se agarravam e trocavam carinhos pela casa toda.
Mamãe em casa colocava apenas vestidinhos bem curtos e logo pude notar que soutien e calcinha não faziam parte de seu corpo. Ela vestida daquele jeito parecia às garotas de programa que faziam ponto na avenida perto de casa. Também notei rapidamente que o negão era completamente tarado pois quando eles achavam que estavam sozinhos os beijos e amassos eram pra la de quentes.
Com certeza iria acabar pegando aqueles dois transando no sofá da sala ou na cozinha. Esses eram os lugares que os dois mais se atracavam. RSS.
O que me surrprendeu de verdade foi quando notei o volume enorme que aquele “negão” tinha entre as pernas. Ele e mamãe estavam se beijando no sofá, ela como quase sempre sentada no colo dele de frente, quando cheguei do cursinho ela se assustou e ao se levantar não teve como não notar o contorno do pauzão enorme do negão perfeitamente delineado em seu short de malha colado ao corpo.
Comecei a entender que o tesão exacerbado da minha querida mãe era causado pelo que estava ali entre as coxas grossas daquele homem. O negão tinha uma rola imensa muito grossa.
Minha relação com o “marido negão” da minha mãe era tranqüila porem sem nenhuma intimidade ou brincadeira, porem devagar ia aceitando aquele homem que estava fazendo minha mãe toda feliz e contente como há muito tempo não se via.
Logo que o Cleber se mudou pra nossa casa procurei me vestir um pouquinho mais recatada, mas assim que percebi que mamãe estava toda “liberal” passei a adotar seu estilo “putinha sexy”... vestidinhos colados ao corpo, shorts que mostravam as popinhas da bunda, minissaias e camisetinhas curtíssimas com a barriga toda de fora. Também adorei não usar calcinha em casa. So quando saia pra rua é que colocava.
Depois de dois meses completei 18 anos e ganhei uma festa de arromba de mamãe e do meu “padrasto negão” na melhor casa de eventos da cidade.
Ganhei muitos presentes e foi tudo maravilhoso.
Foi então que percebi que devagar eu e o “negão” da minha mãe passamos a conversar com naturalidade, trocar sorrisos, e quando me dei conta já nos cumprimetavamos com beijinhos no rosto e até nos abraçávamos carinhosamente.
Na verdade ele soubera me conquistar numa boa sem se impor.
A única coisa que percebia claramente era que apesar de todo respeitoso sempre que me descuidava e sentava de pernas abertas aparecendo de relance minha bucetinha seu olhar era bem safado. Apesar de sentir que ele me olhava como homem isso não me incomodava. Cleber também adorava mostrar seu corpo perfeito e musculoso e principalmente com seus shorts de lycra colados ao corpo não tinha como não notar aquela “rola” enorme entre suas coxas.
De vez em quando eu me pegava imaginando que tamanho aquela rola negra ficava quando completamente dura. RSS.
E foi então que depois de quase 4 meses que mamãe se “casara” é que tive a chance de exercitar meu lado voyeur em alto estilo.
Cinthia tinha a minha idade, 18 anos, e éramos amigas inseparáveis desde os 16 anos quando passamos a estudar juntas. Ela era branca de cabelos negros, tinha seios grandes, bunda grande empinada e tinha um fogo entre as pernas que quase nenhum garoto conseguia apagar.
Quando Cinthia completou 17 anos perdeu a virgindade e depois disso toda vez que sentia tesão por algum rapaz dava mesmo. Era uma putinha insaciável.
Ela vivia me zoando me chamando de amiga “freezer” por já ter 18 anos e ainda ser cabaço.
Eu então retrucava dizendo que tinha a amiga mais putinha do cursinho...que quase todos os alunos já tinham socado a rola na bucetinha dela. Devia ta completamente arrombada. RSS.
Na verdade essas brincadeiras bobas fortaleciam mais a nossa amizade.
Logo depois do jantar na sexta-feira falei pra minha mãe que iria pra casa da Cinthia assistir filmes e que provavelmente iria dormir por la.
E realmente era isso que deveria acontecer, porem no meio do filme o aparelho de DVD deu defeito e não houve jeito de voltar a funcionar e então resolvi chamar Cinthia pra terminarmos de assistir os filmes na minha casa. E assim foi feito. Pegamos os filmes e fomos pra la. Como morávamos pertinho logo chegamos.
Entramos pelo portão lateral e quando passavamos pelo corredor que nos levaria a sala de TV através da porta entreaberta nos deparamos com uma cena incrivelmente deliciosa.
Mamãe estava de joelhos nua no tapete com uma coleira de couro vermelha no pescoço e dessa coleira saia uma corrente dourada que era segura na ponta pelo “marido negão” completamente nu sentado no sofá.
Cinthia e eu nos entreolhamos com cumplicidade e logicamente ficamos bem quietinhas e procuramos ficar bem escondidinhas.
E o que passou a acontecer ali dentro foi completamente louco e excitante.
O negão puxou mamãe pela corrente disse:
-vem...sua cadelinha viciada...assim...engatinhando...de 4...rebolando esse rabo...vem...puta safada ...vem mamar na pica grossa do teu macho...vem minha escrava branca...chupa...vadia!
O negão estava com a rola enorme e grossa completamente dura e mamãe toda obediente entrou no meio das coxas dele e caiu de boca naquele monstro e começou a mamar como um bebe esfomeado. Ele gemia e forçava aquela rola grossa no fundo da garganta de minha mãe que demonstrava estar adorando aquilo e todo taradão sussurrava dizendo:
-chupa puta...engole a pica negra do teu macho...lambe minhas bolas...sua cachorra...vagabunda gostosa...assim...vai...fundo...nessa garganta...chupadora de pica negra...ahhh.
Cleber socava aquela rola imensa na boca da mamãe e com seus braços longos de vez em quando estapeava forte a bunda branquinha da mamãe que dava gritinhos bem safados.
De vez em quando ele tirava a rola da boca da mamãe e batia com ela na cara da mamãe que logo voltava a engolir aquele mastro duro.
Eu não perdia nenhum detalhe do que rolava ali naquela sala.
Quando olhei do lado vi que minha amiga Cinthia já tinha aberto o short e estava com sua mão enfiada na bucetinha se masturbando sem pudor.
Rapidamente fiz o mesmo e por estar de minissaia era mais fácil ainda e logo minha calcinha estava nos tornozelos e meus dedos espertos bolinavam meu grelinho tesudo.
Logo o negão disse:
-chega...de chupar vagagunda...agora quero vc de 4 no sofá...empina esse rabo...que vou meter nessa buceta branca...vou-te foder gostoso...sua vadia...to muito tarado hj...vou deixar essa buceta inchada...isso...assim...puta...gostosa!
Quando vi aquela rola enorme e grossa ser encaixada na buceta depilada da mamãe até senti minha bucetinha virgem piscar...não conseguia acreditar que aquele pauzão negro imenso ia ser enfiado todinho dentro daquela buceta.
Ele a segurava pela corrente e de uma so vez socou aquele pauzão negro na buceta da mamãe dizendo tesudo:
-ahhh...que buceta branca gostosa...ahhh...quentinha...rebola sua puta...mexe esse rabo na vara do negão...sua vagabunda branca...dá pro teu macho...vadia...isso...assim...empina esse rabo...vou-te foder...sua vadia tarada!
Mamãe mostrava que era uma puta de verdade rebolando e gemendo alto espetada naquele rola negra sussurando tesuda:
-fode...sua puta branca...seu tarado pauzudo...mete tudo...ahh...isso...bem fundo...ahhh...quero gozar espetada nessa vara grossa...ahhh...que pica gostosa...soca tudo...seu cachorro...me fode...bate...bate na minha bunda...assim...forte...soca tudo...ahhh!
O negão metia como um garanhão e minha mãe gritava de prazer e logo vi que ele agora estapeava a bunda dela com força. Isso a deixava ainda mais excitada e logo ela deu um grito e gozou copiosamente gemendo e se contorcendo por inteira.
Cinthia ao meu lado gozava que nem louca mordendo os lábios pra não gemer e denunciar nossa presença. Gozei tanto que escorria pelas minhas pernas. Meu grelinho estava completamente inchado de tanto que o apertei com meus dedos.
O sexo corria quente ali naquela sala e os gritos de prazer ecoavam alto.
O negão parou de foder mamãe de 4 e se sentou no sofá sempre segurando a corrente com a coleira no pescoço dela e dizendo todo tesudo:
-agora...te quero...no meu colo...vem sua puta vadia...vem sentar no colo do teu macho...vem dar do jeito que vc adora...sentir minha pica toda...nessa buceta tesuda...vem...safada!
Mamãe tomada de tesão colocou uma perna de cada lado do corpo daquele negro enorme e se encaixando naquela rola negra enorme soltou o corpo se empalando por inteira e começou a cavalgar como louca. Era uma trepada selvagem e super excitante. Ela gemia alto sussurando:
-ahhh...que macho gostoso...que pauzão delicioso...ahhh...fode minha buceta...fode seu negão tarado...faz sua cadelinha gozar...me come...ahh....que pauzão grosso...arregaça minha buceta!
Eu e Cinthia ao meu lada já tínhamos até perdido a conta de quantas vezes havíamos gozado assistindo escondidas mamãe e aquele negão pauzudo fodendo daquela maneira selvagem.
Levantei minha calcinha e puxei Cinthia pelo braço e saímos quietinhas dali e fomos para a cozinha e então toda safada sussurrei dizendo:
-Cinthia...que loucura é essa hein amiga...nunca tinha assistindo a uma transa tão gostosa...mamãe é uma tarada...vamos dar um flagra nos dois...só pra perturbar?
-Michelly sua maluca...vai atrapalhar a foda do casal...é?
-Vamos fazer assim...vamos fingir que estamos chegando e passamos pela sala só pra tirar onda!
Nem acabei de dizer e já fui puxando Cinthia pela mão e na minha outra mão a sacolinha com os filmes que havíamos trazido pra assistir e assim que entramos na sala encontramos mamãe ainda no colo do negão gemendo de prazer e quando se deparou com nos toda assustada se abraçou a ele e gaguejou:
-Michelly minha filha...nossa...o que ta fazendo...aqui...vc não...não...devia...
Pra abreviar aquele constrangimento com um sorrisinho bem safado disse:
-mamãe...não se preocupe...eu e a Cinthia viemos assistir os filmes no nosso quarto...o DVD da casa dela quebrou...pode continuar a namorar...o maridão...a gente não vai atrapalhar...juro!
Cleber pareceu não se importar muito com nossa intromissão e dando um sorriso safado disse:
-vão logo pro quarto garotas...isso não é hora de ficarmos conversando!
Saímos dali e fomos pro meu quarto, entramos e ligamos a TV e logo começamos a conversar sobre o que tínhamos assistido:
-Michelly...sua maluca...entrar assim daquele jeito na sala...tua mãe tomou um susto legal hein!
-Cinthia...adorei ter feito isso...pegar mamãe assim...peladona...metendo...com o negão dela!
-é...também achei legal essa sacanagem que fizemos...mas o negão da tua mãe nem se importou!
-verdade...Cinthia...o safado até deu um sorriso safado...mas vamos falar serio hein...minha mãe é uma gulosa hein...adora levar aquela rola negra na buceta...dava que nem louca...e o negão é um tarado que gosta de judiar...soca tudo com vontade! Amiga...foi a melhor siririca que bati na vida...gozei deliciosamente!
-Michelly...vou te confessar uma coisa...ja trepei com muitos carinhas...até peguei algumas picas grandinhas...mas a picona negra do teu padrasto...é demais...aquilo entrando na bucetinha deve ser uma loucura...como é grossa...nossa!
-Cinthia...sua putinha...garanto que ficou toda assanhada né...se bobear e ficar sozinha com meu padrastro negão...vai querer colocar chifres na minha mãe né sua putinha tarada?
-RSS...nem me fala Michelly...mas como a gente é super amiga e nunca escondemos nada uma da outra...se o teu padrastro quiser me comer...dou na hora pra ele...gostaria muito de trepar com um cara tipo ele...que pega a gente de verdade...nossa!
-é...tenho que admitir...o negão sabe meter gostoso...ja vi muitos filmes pornôs...mas essa trepada da mamãe com ele...foi demais...muito melhor!
-Michelly...vou te falar uma coisa amiga...se esse negão fosse meu padrasto...minha mãe ia ter que dividir o pauzudo comigo...ia fazer ele me comer...toda hora...ahhh se ia! To com minha bucetinha latejando de tesão so de lembrar dele metendo na tua mãe. Vai me dizer que vc não ficou com vontade de dar pra ele também...sua safadinha!
-bem...logico que nunca senti tanto tesão como hj Cinthia! Mas...eu sou cabaço ainda...ja pensou um pintão grosso daquele jeito...ia arregaçar minha bucetinha virgem...acho que não ia ter coragem...teria que ser uma rola normal...a do negão...é muito...muito grande!
-deixa de ser boba...Michelly...acho que se o negão te pegar de jeito...vc acaba dando pra ele... facil...facil...vc ficou toda tarada olhando ele meter gostoso na sua mãe!
Começamos a rir das nossas conversas cheias de safadezas e então resolvemos terminar de assitir o filme que havia parado na metade.
O filme era de terror e logo nossos gritinhos de medo ecoavam no quarto e assim que o filme chegou ao fim, tomamos banho e decidimos dormir.
Como estava calor ligamos o ventilador de teto e ficamos só de calcinha e então Cinthia toda safada brincou dizendo:
-já pensou se o negão pauzudo da tua mãe...resolvesse aparecer no nosso quarto de madrugada ...a gente so de calcinha fio dental...hummm...que delicia ia ser!
-deixa de ser tão putinha Cinthia...acho que vou ter que te mandar embora...dormir na sua casa...é perigoso eu acordar de madrugada com vc me agarrando...do jeito que vc tá tarada! RSS.
-ao contrario também pode acontecer...sua fresca...pensa que me engana é...vc também ta com a bucetinha pegando fogo...se o negão entrasse aqui agora...comia nos duas...do jeito que a gente ta com tesão...ia ser facinho...facinho!
-ve se dorme sua putinha safada...para de falar sacanagem...e me deixar com mais tesão do que já to... amanhã tenho que acordar cedo...tenho aula de reforço...ve se fica quieta...sua maluca!
Acordei cedo no outro dia e Cinthia já estava tomando banho. Fiz o mesmo e quando cheguei na cozinha mamãe estava sozinha tomando seu café e nos cumprimentou com naturalidade.
Cinthia rapidamente tomou um copo de suco e foi embora pra casa dela e então mamãe puxou conversa sobre a noite anterior.
-então Michelly...sobre ontem...achei que vc ia dormir na casa da Cinthia e nem me preocupei...
-mãe...tá tudo bem...sem problemas...vc não precisa me dar satisfações...eu entendo!
-é que fiquei meia sem jeito...vc me pegar daquele jeito...transando na sala...ficou estranho!
-mãe...deixa eu te falar uma coisa...tenho varias amigas no cursinho...todas quase na mesma idade ...mas...acho que sou a única virgem...ainda não achei um cara pra me fazer perder a cabeça...mas não sou uma garota tolinha...sei de quase tudo...além de ser viciada em assistir filmes pornos...e sendo amiga da Cinthia que é uma putinha sem juizo... já fiz PHD em sacanagem. RSS.
-bem filha...acho que nunca conversamos tão abertamente sobre sexo...na verdade até achava que vc nem era mais virgem...sempre fui um pouco travada em matéria de sexo antes de conhecer o Cleber...ele que fez libertar a mulher de verdade que existia dentro de mim! Por isso que resolvi assumir esse relacionamento.
Nos abraçamos e nos beijamos carinhosamente e a conversa continuou agora mais aberta e completamente reveladora.
-mãe...então vc achava mesmo que sua querida filha não era mais cabacinho?
-bem...sim minha querida...vc é uma garota linda com um corpo maravilhoso...os rapazes devem ficar loucos por vc...devem assediá-la o dia inteiro! Faz muito tempo que sei que vc tem uma coleção enorme de filmes pornôs no seu guarda-roupa. Até já peguei alguns emprestados pra assistir! RSS. Na verdade somos tão parecidas que achei que vc tivesse se tornado mulher com a mesma idade minha...com 16 anos...perdi a virgindade com seu pai!
-nossa...to vendo que to atrasada então...ja perdi 2 anos. RSS. Mãe vc é uma tarada...igual minha amiga Cinthia.
-sua maluca...também não é assim...tudo bem que agora to muito mais “solta” com o Cleber...mas nunca fiquei dando pra um monte de machos igual à Cinthia. Depois que fiquei viúva só sai com 2 homens antes do Cleber...juro!
-mãe...relaxa...to brincando...mas que realmente vc tá mais “soltinha” com o teu negão da pra notar de longe...o importante é que vc esta muito feliz...isso é bom demais...agora ontem quando cheguei até levei um susto achando que tinha alguém doente...com aqueles gemidos e gritinhos!
-Michelly não acredito que vc ficou me espiando transar com o Cleber...e ainda mais junto com sua amiga Cinthia...fala a verdade...o que vc viu ontem?
Resolvi que não ia me entregrar assim fácil e continuei dizendo:
-mãe...fica tranqüila...não vi nada demais...alias...acho que até gostaria de ter visto tudo! RSS. É como te disse os gemidos e gritinhos de tesão eram muito altos...não tinha como não escutar. A Cinthia de cara sacou que tinha gente transando na sala...e quando entramos encontrei minha mãe rebolando no colo do negão...toda espetada!
-Michelly...como vc é safada garota...e diz que ainda é virgem...até imagino como vai ser depois... sua maluca! Acho que vou ter que fechar as portas da próxima vez pra não ser pega novamente!
-Mãe...pode ficar tranqüila...se isso acontecer de novo prometo que fico bem quietinha e espero vc terminar de transar...juro que não vou atrapalhar! RSS.
-Michelly sua safada...vou ter que te dar uns tapas garota...ainda fica tirando uma com minha cara!
Peguei minha mochila para ir ao cursinho e quando dei beijinhos pra me despedir em seu rosto toda safada disse:
-mamãe...juro que não to tirando uma com vc...vc é muito quente transando...adorei assistir! RSS.
Sai sorrindo bem safada deixando minha mãe toda passada com minha ousadia.
Ela sabia que tinha visto muito mais do que havia falado e sem saber bem o porquê queria que ela soubesse disso.
Durante uns 3 dias mamãe e o seu maridão se mostraram um pouco mais recatados, evitando aquele pega-pega de sempre pela casa.
Mas logo tudo voltou ao “normal” principalmente porque o verão estava muito intenso e mamãe todo dia de manhã começou a ir para a piscina de casa dar uns mergulhos. Após nadar ela deitava na espreguiçadeira e se bronzeava durante uma hora com seu biquíni fio dental.
O negão da mamãe apesar de não precisar tomar sol...quase todo dia aproveitava pra nadar um pouco e na piscina ele e tarada da minha mãe se beijavam e acariciavam com vontade.
Por causa do cursinho não podia freqüentar a piscina todo dia...mas sempre que podia ficava na piscina pra pegar uma cor e ficar com marquinhas que me deixava super sexy.
Meu padrasto negão, quando me via de biquíni fio dental não deixava de olhar meu corpo ainda virgem de uma maneira que começava a me provocar arrepios...e quando cruzava com ele dentro de casa com seus shorts de lycra ou malha que mostravam aquela rola enorme no meio de suas coxas também não conseguia desviar meus olhos dele e com certeza me entregava olhando descaradamente.
Foi então que depois de alguns dias eu e mamãe voltávamos do shopping à tarde e assim que entramos com o carro na garagem uma moto com dois homens entrou atrás e quando nos demos conta tinha duas armas apontadas pra nos dizendo que era um assalto.
Os assaltantes chegaram nos apavorando com violência dando tapas dizendo que se gritássemos iam nos matar. Queriam jóias e dinheiro...eles haviam seguido a gente desde o shopping.
Eles nos conduziram pra dentro de casa e nos fizeram subir as escadas para nossos quartos.
Mamãe apesar de toda nervosa tentava manter a calma dizendo que tinha um pouco dinheiro em casa e que era pra eles não machucarem a gente que ia entregar tudo de valor.
Os dois eram bem jovens e pareciam estar drogados. Logo começaram a dizer que nos éramos putas por causa de nossas roupas curtas e passavam a mão em nossos corpos.
Na escada eles rasgaram o vestido da minha mãe e ela ficou só de calcinha e soutien. Em seguida fizeram isso comigo e como eu estava sem soutien fiquei só com a calcinha fio-dental. Comecei a achar que além de nos roubar íamos ser estupradas por aqueles bandidos e comecei a chorar. Ai piorou porque levei tapas na cara mandando calar a boca. Minha mãe tentou me defender e também apanhou na cara. E ouvi um deles comentando:
-que putonas gostosas cara...depois de pegar a grana e as joias...vamos foder essas vagabundas!
Mamãe pegou o dinheiro que tinha em casa e nossas jóias implorando que eles fossem embora.
Com certeza eles achavam que poderia ter mais coisas de valor e então prenderam a gente no banheiro e foram vasculhar a casa. Mamãe me abraçou no banheiro tentando me acalmar e foi então que escutamos um estampido de revolver.
Entramos em pânico e começamos a gritar.
Depois de escutar muito barulho a porta do banheiro foi aberta e demos de cara com o meu padrastro que nos abraçou dizendo pra ficarmos calmas que estava tudo bem.
Foi então que soubemos o que havia se passado.
Assim que os dois ladrões entraram pela garagem atrás do nosso carro meu padrasto que estava vindo em casa buscar um documento que havia esquecido esperou um poquinho, parou seu carro, ligou pra policia e entrou em casa pelo portão lateral e ficou escondido esperando uma chance de tentar dominar os ladrões e assim que eles nos prenderam no banheiro e começaram a revirar a casa Cleber com um taco de beisebol acertou um dos dois que ao cair disparou um tiro e quando o outro ladrão se deu conta já estava levando porrada de todo quanto é lado.
Descemos as escadas e encontramos os dois jogados na garagem amarrados com fita adesiva completamente cheios de hematomas. Apanharam até dizer chega e toda nervosa cheguei perto deles e aproveitei e dei vários chutes nos safados. Mamãe também fez o mesmo.
Em seguida chegou uma viaturas com policiais e praticamente so tiveram o trabalho de remover os ladrões para a delegacia. Depois de toda a encheçao de saco de prestar depoimentos voltamos abraçadinhas pra casa junto com o nosso “negão” herói.
Se antes disso eu já estava achando Cleber um cara legal depois dessa minha admiração aumentou ainda mais.
Logo depois de pedirmos uma pizza pra jantar resolvi ir até a casa da minha amiga Cinthia contar tudo que tinha havia acontecido.
Logicamente que depois de todo medo que passei e tudo ter terminado bem era so alegria e logo a conversa entre eu e minha amiga já passou a ser cheias de brincadeiras:
-Michelly...minha amiga...depois dessa acho melhor vc dar essa bucetinha logo...ja pensou se o teu padrasto negão não tivesse chegado pra salvar vcs do assalto e os bandidos socassem a pica em vcs...que merda perder o cabaço desse jeito!
-verdade amiga...vc acredita que quando estava na delegacia prestando depoimento pensei nisso... perder o cabaço pra uns filho da putas iguais aqueles...Deus me livre...seria azar demais!
-mas...e ai...vamos falar de coisa boca...e o teu padrasto...não pegou ele de novo fodendo a tarada da tua mãe? Nossa...quando me lembro daquele dia...Michelly...fico molhadinha na hora!
-bem...bem que eu queria...mas não peguei...mas de vez em quando a gente se encontra na piscina...eu olho pra aquele pauzão debaixo da sunga...e minha bucetinha até pisca. RSS. Mas agora que tá acabando as aulas do cursinho...acho que vai sobrar mais tempo!
Como estava cansada de tanta emoção naquele dia me despedi de Cinthia e voltei pra minha casa.
Assim que entrei já percebi que estava rolando uma sessão de sexo ali na sala e mais que depressa fui me esgueirando e encontrei mamãe de 4 no sofá sendo fodida com violencia pelo meu padrasto negão e ela toda tesuda gemia dizendo:
-fode...fode...com força...meu negão tarado...arregaça a buceta da tua puta...me fode meu macho ...come minha buceta...sou toda sua...bate...bate na minha bunda...quero apanhar do meu macho hj...ahhh que delica...assim...que pica gostosa...ahhh!
O negão socava forte por trás e o barulho do ventre dele na bunda da mamãe era inebriante.
Meus dedinhos já apertavam e bolinavam meu grelo e em segundos minha bucetinha ensopou.
Em instantes eles mudaram de posição e mamãe se sentou no colo dele de frente com eu já havia visto. Ela adorava e toda tarada desceu o corpo de uma so vez fazendo aquele rola negra grossa desaparecer dentro de sua buceta tesuda e gemendo alto dizia:
-aahhhh...que pica grossa...minha buceta adora...ahhh...assim...quero gozar de novo...espetada na pica do meu macho...faz sua puta gozar...do jeito que eu gosto...fode...e bate...bate...quero sentir.... dor...com prazer...ahhh...que delicia...ahhh...adoro ser tua puta...seu negro tarado...ahh!
O negão levantava o corpo de mamãe e soltava de uma so vez empalando a tarada que soltava gritinhos de prazer e quando a temperatura aumentou ele passou a estapear o rosto dela que gemia alto de tesão.
Eu gozava junto e sem me importar fui bem devagar ficando pertinho do sofá assistindo aquela trepada maravilhosa.
Mamãe quase de costas não percebia minha presença mas o negão me viu e toda safada coloquei meu dedo nos lábios pedindo silencio e ele entendeu perfeitamente e continuou a foder mamãe que se entregava aos prazeres daquela rola negra imensa que entrava e saia de sua buceta sedenta. Ela deu um urro e junto com ele gozaram copiosamente.
Quando mamãe se acalmou foi que ela notou que eu estava ali pertinho do sofá e antes que ela dissesse qualquer coisa sorri dizendo:
-mamãe...vc é uma tarada maravilhosa...mesmo depois do sufoco que passamos...vc tem disposição pra transar desse jeito...vc é fantástica...agora vou tomar banho e dormir...se quiser continuar...eu deixo...alias...vcs dois são uns tarados malucos! RSS.
Sai rebolando e subi as escadas sentindo minhas coxas escorridas de tanto gozo que saia da minha bucetinha virgem.
No outro dia de manhã quando cheguei na cozinha mamãe estava tomando café. Cleber já tinha saído e nos abraçamos carinhosamente e me sentei e começamos a conversar.
-nossa mãe...cai na cama e desmaiei...acho que foi tanta coisa que aconteceu ontem...que quase nem acordei com o despertador!
-é...verdade...eu também dormi bem...mas...pra acalmar precisei fazer “amor” com o Cleber!
-é...sei...“amor”...bem selvagem né...mamãe...vc é muito tarada! RSS.
-Michelly...vc tem uma mania de chegar bem na hora que to fazendo amor né...sua maluca?
-mamãe...acho que vc e o Cleber são malucos...acho que o único lugar que vcs não transam é no quarto né?
-bem...filha...vou te confessar...uma coisa...o meu negão é um tarado muito louco...ele mostra aquela pica negra enorme pra mim e manda-me fazer o que ele tem vontade...juro que não consigo dizer não...adoro ser tratada assim! Pronto...confessei...agora vc já sabe!
-é...eu vi...muito bem...vc adora...ser escrava sexual do negão...se acaba de tanto gozar naquela rola enorme! Já que estamos falando abertamente...como vc agüenta levar tantos tapas...do negão ...não dói não sua doida?
-bem...ja que vc quer saber...eu adoro sentir dor...com tesão...aprendi com ele...no começo fiquei receosa...agora...não consigo ficar sem levar uns tapas...do meu macho negro!
-é...eu ouvi vc pedir...alias...implorar pra apanhar...será que quando perder meu cabaço...vou ser igual vc mamãe...tarada desse jeito? RSS.
-bem...isso eu não sei...mas vc logo vai saber...assim que perder a virgindade...sua chata! RSS.
As aulas do cursinho tinham terminado e logo depois coloquei meu biquíni e fui pra piscina manter o bronzeado. Mamãe saiu em seguida pra resolver uns problemas na faculdade e disse que só voltaria à noite.
Apos me bronzear fui almoçar na casa da Cinthia e depois passamos a tarde inteira no shopping e quando voltei pra casa já era noite e fiquei assistindo TV esperando que mamãe e o meu padrasto voltassem, mas com estavam demorando muito tomei um banho gelado liguei o ventilador de teto do meu quarto me deitei completamente nua e logo adormeci.
Acordei cedo no sábado bem disposta com uma energia incrível e durante meu banho bati uma siririca deliciosa com o chuveirinho morno esguichando água no meu grelinho sensível e gozei intensamente com a imagem da puta tarada da minha mãe espetada na rola negra enorme do meu padrasto.
Coloquei um vestidinho de malha bem curtinho e nem coloquei calcinha pra sentir o ar fresco da manha entrar no meio das minhas coxas e desci para tomar café.
Fui à cozinha e encontrei a cafeteira com café fresco mas não vi mamãe e depois de tomar uma xícara fui pra sala e então vi meu padrasto negão com um roupão de banho tomando um copo de café sentado no sofá e assistindo TV.
Toda alegre sorri desejando-lhe bom dia e ele sorrindo disse:
-bom dia minha enteada maravilhosa...pelo jeito acordou bem animada hj hein?
-sim...e como! Acabaram as aulas...hj é sábado...um dia lindo de sol...perfeito pra me bronzear mais um pouco...tá tudo bem!
-é...verdade...também acordei todo animado! Ontem eu e tua mãe fomos a uma festa na faculdade ...ela tomou uns copos de vinho a mais e ficou alegre demais...chapou legal! RSS.
-Eu fiquei esperando vcs...mas ai ficou um pouco tarde e fui dormir! É...mamãe não tá acostumada com álcool...basta beber um pouquinho que já perde a linha...ja vi acontecer isso!
-é...pelo jeito sua mãe vai acordar bem tarde hj! RSS. Eu até fui ao teu quarto ver se vc estava acordado pra me ajudar a dar um banho nela...mas vc já tava dormindo!
Na hora me lembrei que dormi nua e dei um sorrisinho safado e disse:
-Então...vc me viu peladinha...tomei sol quase o dia inteiro...tava com a pele toda ardida...não quis colocar nem uma camisolinha!
Todo safado ele sorriu dizendo:
-é...o abajour tava acesso...deu pra ver que vc estava sem nada...quase que acendi a luz pra ver tudo direitinho...mas não quis acordar minha linda enteada!
Na hora resolvi ser bem safada e disse:
-podia ter me chamado...pra te ajudar com a mamãe Cleber...alias depois que vc me salvou daquele assalto...vc pode me pedir qualquer coisa...que eu faço...na hora!
Notei que ele cruzou as pernas e suas coxas grossas se mostraram naquele roupão de banho curto
e ele todo safado disse:
-Michelly querida...vou me lembrar disso...gostei da frase: pedir qualquer coisa...faço na hora! RSS.
Ele me olhou todo tarado e senti minha bucetinha virgem umedecer de vez e sem qualquer pudor resolvi ser completamente safada e disse:
-ainda não agradeci ao meu herói negão do jeito que eu queria e já que estamos sozinhos aqui vou fazer agora...posso?
Ele sorrindo concordou com a cabeça e então dei a volta no sofá e parando em frente dele disse:
-queria sentar no teu colo de frente e te encher de beijos...acho que uns 100 no mínimo pra te agradecer por me salvar daqueles bandidos...eu ia ficar muito triste se aqueles safados tivessem me estuprado...perder meu cabacinho...desse jeito...seria muito ruim demais!
Ele sorrindo disse:
-é...imagino que sim...se eles tivessem feito isso...eu teria matado os filhodaputas...com certeza! Mas...o que tá esperando...pode sentar no meu colo...vou adorar ganhar beijos da minha linda enteada...alias...se quiser...pode dar mais que 100 beijos...não precisa economizar...gata!
Sem nenhum pudor coloquei uma perna de cada lado daquele corpo negro e me sentei bem devagar...na hora meu vestidinho curto subiu e minha bucetinha virgem se mostrou...e ele todo safado disse:
-to vendo que vc é igual sua mãe...adora ficar sem calcinha né?
Toda safada sorri dizendo:
-sim...adoro...também gosto de dormir nua...vc viu ontem...mas quero começar a beijar logo...alias acho que nem vou contar...os beijos de hj...vão ser todos de brinde!
Quando me encaixei no seu colo senti um volume enorme me tocando e toda safada disse:
-nossa...Cleber...to sentindo uma coisa dura cutucando minha bucetinha virgem...será que ele pensa que é a mamãe que tá aqui...e já ta todo assanhado...alias...mamãe gosta muito de sentar assim no teu colo né?
Ele então levantou meu corpo, abriu o roupão e sua rola negra imensa e dura se mostrou...ele não estava de cueca...e taradão encaixou minha bucetinha virgem em cima do dorso daquela pica e todo tarado disse:
-pronto...sua putinha safada...tua mão gosta assim...e eu sei que vc tá querendo muito assim...mexe essa buceta...sua tarada...tem certeza do que tá querendo sua vadia?
Abracei-o toda tesuda e comecei a deslizar minha bucetinha virgem naquela rola negra quente e colei meus lábios na boca dele. Sua língua se enroscou a minha e toda tarada disse:
-Me come...Cleber...tira meu cabaço...quero vc todinho dentro de mim...quero seu tua puta...igual mamãe...enfia essa rola deliciosa na minha bucetinha virgem...ahhh...eu quero!
Todo tarado ele me beijava e alisava meu corpo e sussurrou dizendo:
-quer ser minha puta...sua vagabunda...tá louca pra gozar igual à vadia da tua mãe é...tenho certeza que vc é tão puta como ela...vou te foder...do jeito que vc quer...sua safada!
Em segundos ele me fez ajoelhar entre suas coxas e aquela rola imensa e grossa estava em riste...dura como aço e logo estava na minha boca...eu tentava engolir o maximo que podia. Ele me segurava pela nuca e socava fundo na minha garganta me fazendo engasgar.
Ele seguida me pegou e colocando de 4 no sofá veio por trás e começou a lamber minha bucetinha virgem com sua língua enorme e quente. Seus lábios grossos sugavam meu grelinho me fazendo contocer sem controle. Comecei a ter orgasmos um atrás do outro. Ele aproveitava pra me encher a bunda de tapas...eu gritava toda tesuda...com certeza ia gostar de apanhar de macho igual mamãe...e pra satisfazer aquele negro que ia ser meu macho me entreguei sussurrando:
-ahhh...que delicia...sua língua na minha bucetinha virgem...ahhh...assim....bate no meu bumbum... ahhh...isso...bate...que to adorando apanhar...ahhh...to gozando...to gozando...não para...ahhh!
Era um gozo intenso e copioso...minha bucetinha virgem estava completamente ensopada e então ele se sentou no sofá com aquela rola imensa apontando para o teto e disse todo tarado:
-vem...sua vadia...vem ser minha puta...vem sentir o que vc ta querendo...minha rola negra nessa bucetinha branca...vem dar pro teu macho...quero vc assim de frente...eu sei que vc quer assim...igual à vadia da tua mãe...vem logo...vou tirar esse cabaço...sua vadia!
Como se fosse uma escrava fiz o que aquele macho pauzudo mandou e coloquei uma das pernas de cada lado daquele corpo negro e logo senti a cabeçona quente daquela rola enorme encaixada na entrada da minha bucetinha virgem e em poucos segundos meu corpo foi puxado com força pra baixo e meu cabaço foi rompido com firmeza.
Dei um grito mas logo minha buceta estava colada no púbis daquele negro pauzudo.
Me senti empalada por inteira. Senti dor...mas foi menos do que imaginei e logo estava sendo comida com vontade. Eu rebolava como a vadia da minha mãe e pra dixar bem claro que quem comandava meu corpo era aquele macho pauzudo levei dois tapas na cara e gozei quase mijando de tanto prazer...o sangue que saiu do meu cabaço se misturava ao meu gozo intenso.
O tesão era incrível e logo em seguida ele me colocou de 4 e passou a me foder com força.
Minha bunda levava tapas sem dó me provocando arrepios de prazer. O gozo era cada vez mais intenso. Quando me dei conta tinha uma cabeçona toda babada na entrada do meu cuzinho virgem e sem dó comecei a ser enrabada. Gritei muito dessa vez mas apanhei mais forte e não demorou pra que minha dor se transformasse em prazer e logo rebolava como uma louca com aquela rola imensa toda enterrada na minha bundinha. Gozei...gozei e gozei muito...e então senti meu cuzinho ser inundado de porra fervente e caudalosa...era uma delicia sentir aquele liquido dentro de mim.
Ele desabou em cima de mim e ficamos engatados até aquela rola negra enorme escapar da minha bundinha. O sofá estava todo manchado de sangue do meu cabaço...até achei que também tinha saído sangue do meu cuzinho mas isso não aconteceu.
Tomamos banho juntos e ele todo safado disse que agora tinha duas escravas sexuais pra satisfazê-lo. Quando comentei preocupada sobre minha mãe ficar sabendo ele sorrindo disse que não precisava se preocupar com isso que estava tudo bem.
Não demorou quase nada pra que aquele negão pauzudo passasse a comer eu e mamãe juntas no sofá da sala.
Cleber passou a ser o nosso macho negro e sabia como satisfazer suas 2 putinhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário