Total de visualizações de página

terça-feira, 17 de outubro de 2017

SE O MACHO FOR O NEGRO É CACETUDO SUA ESPOSA JÁ ERA

Se o macho for negro cace tudo e fodedor esqueça sua esposa já era.
Casado há 25 anos com Giselle, uma loira de 48 anos, corpo muito feminino, com quadris largos e coxas grossas, macias e lisas, nunca malhou, nem praticou esporte, mas tem um corpo extremamente sedutor, daqueles que homens, farejadores de fêmeas dóceis e submissas, sentem uma atração enorme.
Giselle nunca foi uma mulher fogosa, que valoriza demais o sexo, sempre mais pacata do que eduque muitas vezes propus a ela que poderíamos participar de trocas de casais, na verdade meu interesse era mais em foder a esposa de outro do que algum outro homem fodendo minha mulher, pois eu não queria traí-la, mas era louca para foder uma buceta diferente... Depois de tanta insistência minha Giselle concordou experimentar a troca de casais, tivemos uma experiência com um casal mais jovem que nós, eles entre 25 e 30 amosse curti bastante a esposinha nova, mas minha esposa não teve a mesma sorte com o marido dela que era bem bruxinho sexualmente... Uma outra experiência com outro casal com idade equivalente à nossa também foi frustrante para Gisele marido estava mais preocupado em ficar me vendo foder a esposa dele do que em foder minha esposa.
Finalmente a experiência que transformou totalmente nossa vida aconteceu a pouco mais de um ano, depois de muitas mensagens pelo watts combinamos com um casal totalmente diferente, ela uma mulata mignon, Lina, de 35 anos e ele um negro rústico e maduro, Pedrão, de 56 anos... Antes do encontro eles fizeram algumas exigências que eu, particularmente, achei estranhas, uma delas é que os casais trocados deveriam estar na mesma casa, porém em aposentos diferentes, onde o outro casal não poderia ter acesso, somente após a porta do aposento estar totalmente aberta, também foi exigido que Pedrão não usasse nenhum tipo de preservativo, só gozava em pelo, eles apresentariam e exigiam atestados médicos... Enfim, logo notei que era Pedrão quem fazia as exigências, eu estava para desistir desse encontro, mas fui surpreendido por Giselle, que pela primeira vez opinou sobre os encontros, dizendo que o negão parecia de personalidade forte, o que nunca tinha acontecido com os outros que nos encontramos... Ainda comentei com ela que estaríamos em quartos separados com pessoas que nunca estivemos anteriormente, mais uma vez me surpreendendo com ela dizendo que talvez isso fosse o melhor.
Enfim, depois de tudo acertado e o local escolhido terem sido nossa casa, a última exigência de Pedrão, o quarto de casal onde Giselle dormia comigo teria que ficar com ele e minha esposa... Eu ia estrilar, quando Giselle antecipou-se e disse ser justo que assim fosse...
O dia chegou um sábado às 15 horas eles chegaram à nossa casa, Lina, 35 anos pequena e muito atraente era também bem bonita bundinha arrebitada e peitinhos pequenos, parecia terem menos idade do que haviam dito já Pedrão era bem alto, mas nada atlético, em rústico e com barba por fazer, parecia ter até mais do que os 56 anos que dizia ter, achei que mais uma vez minha esposa tinha sido prejudicada na troca que faríamos.
Mas as aparências realmente podem nos enganar e muito, fodi muito gostoso a Lina que pequena tinha uma enorme buceta, bem larga mesmo, e para sentir um prazer maior acabei fodendo o cusinho dela que era bem apertadinho, assim umas duas horas se passaram.
Aí fui lembrar-me de minha esposa que estava com Pedrão na suíte de casal da casa, e perguntei para Lina se eles já teriam terminado, foi quando ela me disse que conhecendo seu marido, se Giselle se adaptasse às dimensões de Pedrão, nessa hora eles estariam apenas começando, como assim perguntei, ela me contou que Pedrão tinha um cacete como de um cavalo, 28x5, cinco, que ela mesma suporta um pouco mais da metade, e que o grande sonho dele é achar uma mulher que aguente ele totalmente dentro, onde ele possa atolar até os bagos e ejacular as quantidades absurdas de porra que seus bagos enormes produzem, nesse momento ficou apreensivo, com receio da integridade física de Gisele notando minha preocupação Lina foi falando que nem adiantava irmos até o quarto onde eles estavam, pois estaria trancado e Pedrão ficaria puto se fosse interrompido, mas que nada aconteceria sem que Giselle concordasse e suportasse...
Apreensivo, mas estranhamente excitado, eu ouvia Lina contando das taras alucinantes de seu marido, de sua capacidade de foder por horas a fio, e da quantidade de porra e de vezes que consegue ejacular... "essa hora, mesmo que ele não tenha se enfiado todo, isso ele nunca consegue, já deve ter descarregado seus. culhões no mínimo umas duas vezes no útero dela, e ela já deve ter chorado e gemido muito no cacete dele “
Mais de duas horas tinham se passado, novamente uma excitação estranha se apoderou de mim, pé ante, pé fui até a porta da suíte e logo escutei minha esposa gemendo alto, seus gemidos eram hora nítidos, hora abafados, hora de dor, hora de prazer, olhei pelo buraco da fechadura e na posição que estava pude ter uma boa visão do que acontecia, ela de frango assado estava com o cacetão bem entalado na buceta, mas dava pra ver um tronco enorme ainda pra fora de sua buceta, as bolas eram descomunais, e suas bocas se beijavam, ela lambia a língua enorme do negro e parava para gemer de prazer...incrédulo, surpreso e extasiado eu via algo que jamais imaginei que fosse ver, minha esposa totalmente dominada e entregue à luxuria de dor e prazer, e alucinado de tesão ainda vi suas mãos vindo por trás das coxas do negro puxando-o para aumentar a penetração....Giselle tinha perdido totalmente o juízo, se aquele tronco todo ainda para fora entrasse nela com certeza ela teria seu interior totalmente destruído...a cena embora forte e absurda era extremamente excitante, Giselle se entregava de forma total ao macho preto que lhe judiava das carnes brancas e macias...
Por mais duas horas Giselle chorava e gemia alucinada em nossa cama de casal, eu ia e voltava, já tinha me esporrado todo vendo pelo buraco da fechadura, e ouvindo aquilo, e Lina acrescentando e me narrando as loucuras que seu marido Pedrão é capaz de fazer com uma esposa alheia, e o prazer que tem em ir aumentado a córtice dos maridos que a ele expõe suas esposas...
Quando ele saiu do quarto, deixou lá estendida minha esposa, mal olhou na minha cara, deu o braço para sua esposa Lina e ao sair apenas disse " tua mulher é fêmea sem limites, é tudo o que eu mais quero pra mim, voltarei quantas vezes eu e ela quisermos, cuide dela para mim, e só pra mim entendeu?"


Nenhum comentário:

Postar um comentário