Total de visualizações de página

domingo, 14 de maio de 2017

A SEMANA _ SEGUNDA FEIRA

Este é um conto transcrito de um site Portugues(de Portugal), não é um conto meu, mas fiz uma transcrição com adaptações necessárias para deixa-lo melhor. Dou os creditos a pessoa que o escreveu e postou originalmente no site estrangeiro. Será o Primeiro de um conjunto de 5 contos intitulado: A SEMANA.
Me chamo Pedro, tenho 31 anos, cabelos escuros, pela clara, 1,84m de altura. Sou bem constituído e para os mais curiosos tenho uma pika de 18cm cabeçuda e de boa grossura.
Minha mulher Liliana tem 29 anos, pele morena, 1,72m e um corpo fitness mas sem abdominais, tem peitos grandes e firmes com uma bunda suficiente para deixar qualquer homem maluco.
Tudo começou no domingo... eu descansava na sala assistindo a um programa qualquer na tv, esperando por Liliana que devia estar chegando da rua. Ouvi o barulho das chaves na porta, Liliana chegou, mas para minha surpresa, nao estava sozinha, trazia uma amiga, Rute.
Rute é uma loira ligeiramente mais baixa que a Liliana, não tem os seios tão apetitosos como ela, mas o rabinho é algo que fazia minha imaginação viajar. Ultimamente Rute tinha sido foco de muitas de nossas conversas, pois é grande amiga de minha esposa e passa por uma fase de dificuldades em sua vida...
- "Boa noite!" disseram as duas simultâneamente, e Liliana continuou falando:
- "Meu bem, a Rute teve um percalço e precisa ficar aqui em casa por uns dias, vai ser somente esta semana. É aquele problema que já tínhamos falado"
Sinceramente, eu não achei muito normal, ela tomar uma decisão assim sem conversar comigo primeiro, mas tendo em conta o azar da Rute eu não me opus nem comentei. Arrumaram as coisas dela, e ficou na sala que tem um sofá-cama à antiga.
SEGUNDA-FEIRA
Acordei por volta das 08:00, sempre vou para o escritório um pouco mais tarde. Liliana sempre acorda e sai cedo por causa do horário do seu trabalho, Rute e ela trabalham no mesmo horário. Eu estava de pau duro, com ereção matinal, tesão do mijo como se diz, dei uma mijada, lavei meu rosto e sai andando pelado até a cozinha, meu pau ainda em meia-bomba, pra meu espanto, Rute ainda estava em casa sentada a mesa do café.
Foi um daqueles momentos em que segundos demoram uma eternidade, ela teve tempo para analisar tudo o que me pertencia, virou a cara para o lado e ainda meio engasgada pediu desculpas, que tanto ela como a Liliana tinham se esquecido de me avisar que ela iria mais tarde para o trabalho.
Apesar do susto e toda a situação constrangedora, meu pau ficou duro, falei rapidamente que se soubesse não apareceria daquele jeito e me retirei para o quarto vestir-me. O dia passou normalmente a rotina do trabalho afastaram quaisquer pensamentos sobre o acontecido e no final da tarde fechei o escritorio e cheguei em casa ao mesmo tempo que Liliana. Ao entrarmos no quarto, contei a Liliana o acontecimento matinal e ela ouviu tudo com perplexidade, e de repente passou à gargalhada total e respondeu:
- "Pelo menos ela não vai ter vontade de te espiar, agora já sabe o que voce tem. KKKK".
Fomos tomar banho juntos, sempre fazemos isso, durante o banho fixei os olhos em seus seios grandes, um fio de agua que escorria pelo meio das mamas até sua gruta úmida. Ela encostou-se na parede e puxou-me junto dela, começou a lavar a cabeça do meu pau e a massagear o resto até às bolas, meu pau imediatamente reagiu, endureceu, o calor subiu em meu corpo, fui ficando num tesão louco e preparei-me para "atacar"... quando ela soltou meu pau, desligou o chuveiro e disse para me virar de costas.
Não entendi, mas obedeci, e me virei... Rute, estava atrás de mim e quando girei o corpo, ela se adiantou e meu pau encostou no umbigo dela. Não acreditava no que eu via, que corpo! os seios eram menores, mas muito firmes, empinados, com mamilos duríssimos, com contornos escuros iguais aos que me deixavam louco nos filmes porno, estava raspadinha e seu olhar me penetrava a alma. Ao meu ouvido minha esposa sussurrou que tinha combinado tudo com Rute, Liliana ia me distrair, enquanto Rute, sorrateira, entrava em casa e se juntava a nós. Nunca tínhamos discutido um Menage, era algo que supostamente estava fora do cenário sexual da minha vida com Liliana.... Rute agarrou no meu pau e começou a masturba-lo lentamente, Liliana encostou-se a mim, massageava minhas bolas enquanto gemia em meu ouvido, virei o rosto e dei um beijo quente de lingua em minha esposa, no momento em que Rute abocanhou meu pau até às bolas, uma chupada do jeito que Liliana nunca tinha feito, olhei para ela e já estava de joelhos a babar-me todo, levei a mão para trás direto na buceta de Liliana, que já estava toda molhadinha, ela gemia e mordia e enfiava a lingua em minha orelha, parecia fora de si, os mamilos dela mais eretos do que nunca espetando minhas costas...
Pus dois dedos dentro dela e comecei a acelerar o movimento, Rute acelerava o boquete em meu pau, engolindo até o talo e tirando até a cabeça de volta, sempre com uma mão a me massagear as bolas.
Enfiei minha lingua na boca de Liliana e afundei os dedos em sua buceta, ela agarrou-se em mim por baixo de meus braços enlaçando meu peito, e libertou um grito tão forte quanto o orgasmo que a atingiu, senti suas unhas em meu peito e seu corpo vibrar, soltei um grunhido alto e só tive tempo de segurar a cabeça da Rute e encher-lhe a boca de porra. Saímos do banheiro, para o quarto, Rute sentou-se na cabeceira da cama com as pernas bem abertas, sua buceta estava encharcada, fiquei tarado e me lance pra cair de boca naquela bucetinha rosada. Eu já estava de joelhos na cama me inclinando para enfiar a boca na buceta quando...
Liliana se meteu na frente, de quatro com os dois buracos molhados na minha cara e começou ela mesma chupar a buceta de Rute. Enfiei a lingua no cuzinho da Liliana, e meu caralho endureceu na hora, em poucas chupadas que dei no cu dela, sua buceta passou a escorrer e dirigi minha boca para sua fenda, sugando e engolindo o maximo que pude de sua porra que parecia minar daquele bucetão cheiroso.
Meu pau agora parecia que ia explodir, Rute mordeu os lábios, se inclinou para trás enquanto gemia e agarrava a cabeça da Liliana enfiando mais pra dentro de sua buceta, gemia alto quase gritava, Liliana com uma mão estimulava o cuzinho dela e chupava o clitóris, e levou a outra mão pra tras em seu grelo, masturbando enquanto eu revezava enfiando a lingua fundo em sua fenda e no seu cu.
Por um momento tirei meu rosto do rabo de minha esposa e fiquei a assistir o momento sexual lésbico pela primeira vez, o meu coração acelerou, parece que tinha levado uma dose de adrenalina... o meu pau estava com as veias expostas e até doía de tão duro... Olhei para buceta da Liliana que se babava, empinada na minha direção, apontei meu pau pra sua bucetona e penetrei, agarrei pelas ancas e comecei a enfiar cada vez mais e mais e mais, com mais força, mais rápido, um tesao louco, quase com raiva.
Liliana ora tirava a boca para gemer, ora sufocava seus gemidos chupando a Rute... De repente sua buceta começou apertar meu caralho e soltou um gemido ainda mais forte, estava gozando, senti o calor de um squirt no meu pau, a buceta em convulsões, que loucura! Ela começou a contorcer-se incontroladamente enquanto ria, a Rute se masturbava, pois já não tinha a boca da Liliana.... Era a minha vez de experimentar a Rute, tirei meu pau de Liliana e olhei pra ela de uma forma predatória. Ela percebeu e aproximou-se com as perna abertas, ela sabia que eu ia foder com tudo, agarrou-se a cama com as duas mãos e serrou os dentes, eu, agarrei suas ancas e penetrei de uma vez só.
Sua bucetinha era bem mais apertada que de Liliana, quase mastigava meu pau grosso, estava muito molhada, lisa, meu pau deslizava gostoso naquela quentura de buceta. Passei a foder com força, socar sem dó, agarrado a sua bunda, meus dedos indicadores pressionando o seu cu, e meu pau entrando e saindo de uma forma quase animalesca, ela já não gemia, gritava pra mim continuar:
- " ahhhh fodeee... fode caraaaalho.... vai porraaa fodeeee... mete esse pauzão... fode minha buceta... mete seu porra, meteeeee..."
Aquilo pareceu um combustivel pra mim, Liliana nunca falou coisas sujas assim quando fode comigo, Rute pedindo assim pra mim foder parece que me deu um gás, meti por uns 10 minutos, suando, bufando, coisa loka. Liliana que até então estava meio apagada, calou a boca de Rute com um beijo, foi o clique...
Rute teve um orgasmo tal como Liliana, começou a se contorcer toda, tanto que meu pau saiu de dentro dela, Liliana vendo isso, abocanhou meu pau, foi a forma de ela dizer que agora era a vez dela de saborear o meu leite todo, e foi quase instantâneo, com as duas mãos apertei a nuca dela contra o meu caralho e gozei tanto que quase tive um infarto.
Ficamos os tres deitados na cama todos misturados uns por cima dos outros, passando as mãos pelo suor no corpo dos outros, até a respiração voltar e o sangue circular novamente.
Tomamos banho, eu primeiro, as duas juntas depois, então sentamo-nos no sofá, Liliana e Rute com um ar muito suspeito olharam para mim a sorrir, e eu questionei o que se passava ao que Liliana me disse:
- "Há querido... isso era algo que voce queria muito? Certo?" e antes que eu pudesse responer ela continuou:
- "A rute tem um namorado(Oliveira) e ele está sempre falando em Menage... Amanhã ele virá aqui visita-la..."
Qual será a minha reação?
Terça-Feira será o próximo capitulo...

Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário